Amor Platônico

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Por Ruiz

Esse é um tema que necessita de leveza e desprendimento. Talvez até um pouco de poesia e de música!

O amor é o maior combustível dos poetas. Sem ele, provavelmente a poesia seria triste e vazia. Retrataria coisas da natureza, do cotidiano. Mas não a essência humana.

E, na minha opinião, leiga em conceitos ou conhecimentos específicos de psicologia ou outras ciências, o amor é o que move o ser humano. Move para serem melhores, pelo amor às coisas que gosta, pelo amor à familia, pelo amor ao trabalho e tantas outras coisas que poderia listar aqui. O inverso também é verdadeiro- o não-amor.

Mas vamos falar de um tipo de amor especial… o “Amor Platônico”. Platão dizia que esse era o amor que fica no plano das idéias, que nunca pode se realizar, porque não é real. Mas pensando bem, é algo muito mais comum do que a gente pensa.

Quem de nós nunca viveu um amor assim? Quem nunca suspirou por uma linda cantora? Ou por uma colega de trabalho? Por uma vizinha, que você insistia em sair no mesmo horário só para encontrar no elevador? Quando projetamos a pessoa ideal em alguém, e imaginamos mil situações românticas e de felicidade eterna, temos o tal “Amor Platônico”.

A beleza do amor platônico é a pureza desse sentimento. Quase sempre é um amor quieto, que não se conhece. Um amar que é mais amar a pessoa do que a si mesmo, pois, mesmo sabendo que pode ser algo que nunca venha se realizar, ainda assim o coração insiste em alimentar. Causa dor, sofrimento e uma sensação de mãos atadas. Quando é algo que realmente não é possível alcançar, menos mal. Ruim é quando você é obrigado a viver calado ao lado da pessoa.

Lembro de um seriado de TV, que a protagonista foi perdidamente apaixonada por um colega de sala. Só finalmente se declarou no dia da formatura. Era tarde. Ele tinha o mesmo sentimento, mas ia se mudar de país no dia seguinte. Um amor platônico. Platônico sem necessidade.

Então vamos evitar esse tipo de coisa! Vamos investir o nosso tempo no que é real! Se você ama alguém, vá em frente! Não deixe o Platão continuar tendo razão! Agora, se for algo realmente impossível, não disperdice amor e tempo com algo quer nunca vai se materializar!

Beijos,
Ruiz

Paula Souza

Paula Souza

Paulista, 42 anos, formada em Tecnologia, otimista. Adoro falar sobre moda, beleza e, mais recentemente, sobre maternidade. Aqui escrevo sobre tudo que gosto, espero que gostem também!

Leave a Replay

About Me

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

Recent Posts

Follow Us

Weekly Tutorial

Sign up for our Newsletter

Click edit button to change this text. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit